olmi
NOTICIAS

Liderança destaca a importância da incidência política dos povos indígenas de Mato Grosso

   13/07/2017
Fonte: Sucena Shkrada Resk/ICV -   

O segundo entrevistado da Série Universo Indígena – MT, do Instituto Centro de Vida (ICV), é Bemoro Metyktire (do povo Kayapó), presidente da Federação dos Povos e de Organizações Indígenas de Mato Grosso (FEPOIMT), criada em junho de 2016, para representar os 43 povos localizados no Estado. Depois de um ano (confira a matéria Povos indígenas do Mato Grosso criam Federação para melhorar sua articulação), voltamos a ouvir a organização sobre suas prioridades e ações e ampliação do espaço de incidência política. Algumas das pautas discutidas na Assembleia dos Povos Indígenas de MT. A próxima está agendada para setembro deste ano.

#SérieUniversoIndígenaMT_ICV

Por Sucena Shkrada Resk/ICV

ICV: Quais são as principais prioridades hoje de luta dos povos indígenas de Mato Grosso?

Bemoro Metyktire/FEPOIMT: Atualmente vivemos em um cenário nada favorável aos povos indígenas, assim, nossa principal luta é em defesa da garantia de nossos direitos constitucionais, que a cada dia vêm sendo violados por novos decretos e portarias, que fragilizam e colocam em risco nossa cultura, nossos costumes e a vida em geral.

ICV: A FEPOIMT foi dividida por regiões. Como isso contribui para a gestão das pautas dos 43 povos? Por favor, dê um exemplo.

Bemoro Metyktire/FEPOIMT: A Federação foi dividida em sete regiões: Kayapó, Xingu, Xavante, Cerrado/Pantanal, Médio Araguaia, Noroeste e Vale do Guaporé, para facilitar a compreender das especificações de cada um dos 43 povos que a FEPOIMT representa. Cada uma dessas etnias tem seu diferencial e regionalmente há aspectos que ligam uma a outra, como por exemplo, o ambiente no qual estão inseridas.

ICV: Qual o posicionamento da FEPOIMT quanto a projetos de lei (PLs), medidas provisórias (MPs) e Projetos de Emenda Constitucional (PECs) no Congresso, que visam diminuir terras indígenas e a autonomia dos povos? Ex: PEC 215, entre outras?

Bemoro Metyktire/FEPOIMT: A FEPOIMT é totalmente contrária aos projetos, medidas provisórias e portarias que venham a colocar em risco o território e a população indígena em geral. A organização nasceu da necessidade de nós, povos indígenas de Mato Grosso, nos unirmos e buscarmos garantir os nossos direitos enquanto cidadãos originários desse país.

ICV: Os indígenas de Mato Grosso começam a ocupar espaços de incidência política no Estado e até no exterior. Qual é a importância desta presença?

Bemoro Metyktire/FEPOIMT: Nós começamos a ocupar estes espaços no Estado, a partir do momento que iniciamos a nossa organização e ver que as questões políticas só seriam feitas e respeitadas em favor dos indígenas, quando nós nos mobilizarmos. Assim começamos a nos reunir e entender que juntos temos condições de lutar por nossos direitos. 

Hoje temos a FEPOIMT como um dos importantes instrumentos dos indígenas e estamos lutando para garantir que novos surjam. A Federação está integrando vários Conselhos em nível estadual e nacional, buscando ampliar nossa luta. Também iremos participar nos próximos dias, levando o nome da FEPOIMT e a luta dos direitos dos povos indígenas de MT, em um evento internacional que conta com a participação de representantes de vários países, por meio da Oficina Força-Tarefa dos Governadores para o Clima e Floresta (GCF).

Veja também:
Vozes dos Atingidos do Fórum Teles Pires completa dez depoimentos
Historiadora fala sobre a riqueza do patrimônio imaterial indígena
Vozes dos Atingidos chega ao sétimo depoimento e continua em junho
Direitos indígenas: impactos são debatidos na UFMT, no contexto das hidrelétricas

Comentários
Noticias Relacionadas
Publicidade
JUMASA
Facebook
Parceiros
Marli aparecida Dos Santos

meu nome é Marli Aparecida dos Santos moro em Ivinhema mato grosso do sul e estou a procura do meu irmão José Rogério dos santos que não temos noticias desde 2007.Por favor se alguém souber ou tiver alguma noticia favor entrar em contato pelo telefone (067) 9671-3411 Marli ou (67)9989-2917 Edvando. Muito obrigada